Covid-19

O Laboratório Exame preparou tudo que você precisa saber sobre os testes e procedimentos essenciais. Tem mais dúvidas? 

Conheça os diferentes tipos de testes para COVID-19.

A COVID-19 é uma doença causada pelo vírus SARS-CoV-2. Existe atualmente uma série de testes disponíveis para diagnóstico da COVID-19. Cada tipo de teste tem sua eficácia, dependente da aplicação do mesmo em momento adequado, de acordo com o quadro clínico do paciente. Por conta disso, várias dúvidas podem surgir a respeito de qual teste seria mais adequado, ou qual a precisão de cada teste, ou ainda quais os significados dos termos técnicos utilizados nos mesmos. Com a finalidade de esclarecer estas e outras dúvidas, traremos informações detalhadas, para que você possa entender melhor a este respeito. Atenção: É importante ter a orientação e o acompanhamento de um médico.

DIFERENÇA ENTRE EXAMES DA COVID-19: SOROLOGIA, TESTE RÁPIDO E RT-PCR (Teste Molecular)


O QUE É PCR OU TESTE MOLECULAR PARA COVID-19?

A RT-PCR (do inglês reverse-transcriptase polymerase chain reaction) ou Teste Molecular para COVID-19, utiliza técnica de biologia molecular para identificar a presença de material genético do vírus SARS-CoV-2. É o exame considerado “padrão-ouro” para diagnóstico da COVID-19 e é indicado principalmente para quem está com sintomas da COVID-19. A amostra do paciente, utilizada para este teste, é esfregaço da nasofaringe e orofaríngeo (coletada com swab) ou lavado brônquico. A coleta deve ser feita do 3º ao 10º dia de sintomas clínicos, pois fora desse período, a quantidade de vírus nestes locais de coleta pode não ser suficiente para a detecção. Este exame permite ao médico fazer o diagnóstico preciso e no início da doença por isso é considerado o principal Teste para diagnóstico da COVID-19.

PARA QUE SERVE O EXAME DE PCR PARA COVID-19?​​

O PCR serve para detectar a presença do vírus no organismo do paciente. Analisando o material coletado do nariz e da garganta do paciente, o exame consegue identificar a presença do RNA do vírus.

O QUE É O EXAME DE SOROLOGIA PARA COVID-19? COMO FUNCIONA O EXAME DE SOROLOGIA DO CORONAVÍRUS?

O Teste Sorológico, diferentemente da RT-PCR, pesquisa a resposta imunológica do corpo ao vírus da COVID-19. Objetiva detectar a presença dos anticorpos IgA, IgM e IgG específicos contra o SARS-CoV-2 de forma quantitativa, ou seja, o Teste Sorológico é capaz de detectar os níveis de anticorpos contra a COVID-19 produzidos após exposição ao vírus. Com o resultado do teste o médico poderá avaliar se o paciente em questão contraiu a COVID-19 e, em caso positivo, será possível determinar a fase da doença em que se encontra este paciente ou, em conjunto com os dados clínicos, também é possível avaliar se já está curado. Para que o Teste Sorológico tenha eficácia no diagnóstico, é recomendado que seja realizado a partir do 8º dia de sintomas clínicos, quando já se tem quantidade mínima suficiente de imunoglobulinas para serem detectadas pelos métodos sorológicos. Realizar o teste de sorologia antes do período indicado pode resultar num resultado falso negativo. O exame de Sorologia é realizado por meio da coleta de sangue venoso do paciente, similar a outros exames laboratoriais de sangue, a análise é feita a partir de metodologias como Enzimaimunoensaio e Quimioluminescência, que detectam e quantificam os anticorpos específicos para SARS-COV-2; IgG, IgM e IgA.
Importante: Um resultado negativo NÃO exclui a possibilidade da presença da doença, pois o paciente pode estar no período da doença em que ainda não se tem imunoglobulinas suficientes para serem detectadas. É o período chamado de janela imunológica que compreende desde o período de incubação até aproximadamente o 8º dia de sintomas clínicos.

O QUE É TESTE RÁPIDO PARA COVID-19?

O Chamado “Teste Rápido” para COVID-19 também é um teste sorológico, porém com método Imunocromatográfico de detecção qualitativa dos anticorpos IgG e IgM anti SARS-COV-2 (Vírus causador da COVID-19). O teste é feito a partir de amostra de sangue colhida por punção venosa. Este teste pode detectar se o paciente já teve contato com o vírus da COVID-19. A vantagem desse teste é a obtenção de resultado rápido (Em no máximo 2 horas). Importante: O resultado negativo NÃO exclui a possibilidade da presença da doença, pois o paciente pode estar no período da doença em que ainda não se tem imunoglobulinas suficientes para ser detectada. É o período chamado de janela imunológica. Nesse caso o médico que assiste ao paciente pode solicitar exames complementares.
Os Testes Rápidos, por serem de detecção qualitativa, possuem sensibilidade menor em comparação as outras metodologias utilizadas para a Sorologia (Enzimaimunoensaio e Quimioluminescência).

QUANDO COLETAR A AMOSTRA PARA O TESTE DA COVID-19? (Melhor período)

  • TESTE MOLECULAR (RT-PCR): entre o 3º e 10º dia após o início dos sintomas.
  • TESTE SOROLÓGICO: A partir do 8º dia do início dos sintomas.
  • TESTE RÁPIDO: A partir do 8º dia do início dos sintomas.

EM QUANTO TEMPO FICA PRONTO O RESULTADO DOS TESTES PARA COVID-19?

  • TESTE MOLECULAR (RT-PCR): De 2 a 5 dias.
  • TESTE SOROLÓGICO: 2 a 3 dias.
  • TESTE RÁPIDO: Em até 2h.

UMA PESSOA COM ANTICORPOS PODE TRANSMITIR O VÍRUS?

É desconhecido. Os anticorpos IgM são geralmente associados com o contato viral recente (fase aguda da doença) e IgG indica um contato anterior (convalescença ou cura da doença). No entanto, a dinâmica desses anticorpos em Covid-19 ainda é controversa e depende de mais estudos. A recomendação é de isolamento por 15 dias após o início dos sintomas, independente da presença de anticorpos ou testes moleculares negativos. Caso os sintomas persistam, esse período de isolamento deve ser revisto.

SE A PESSOA APRESENTA ANTICORPOS SIGNIFICA QUE É IMUNE AO COVID-19?

Ainda não existem estudos que comprovem ou afastem a imunidade protetora. O conhecimento que se tem atualmente é baseado nas outras coronaviroses, onde estima-se uma proteção/imunidade por períodos superiores a um ano.

QUANDO UMA PESSOA DEVE PROCURAR FAZER O TESTE?

Se estamos falando de teste molecular para detecção do vírus através de amostras de secreção nasal ou da garganta do paciente, a partir do terceiro até o décimo dia de sintomas clínicos pode fazer o teste. Já existem evidências que períodos anteriores e posteriores a esses, podem apresentar ainda resultados positivos para a Covid-19, no entanto, aumenta bastante a chance de um teste falso negativo, ou seja, a pessoa está infectada, mas não é detectado pelo teste.
No caso dos testes para detecção de anticorpos, as informações são ainda mais controversas, mas de maneira geral, acredita-se que após oito a dez dias de sintomas clínicos, inicia-se a detecção no sangue de anticorpos na fase aguda da doença (IgM e/ou IgA), indicando contato recente com o vírus. Após doze a dezoito dias de sintomas, anticorpos associados à fase convalescente da doença (IgG) começam a ser detectados no soro e permanecem por um período maior no nosso organismo e indicam desenvolvimento de imunidade mas não garantem a proteção. No entanto, essa dinâmica de geração de anticorpos ainda não está totalmente confirmada.