FAQ – Dúvidas

Dúvidas Frequentes

Alguns sim. Por exemplo; os anti-inflamatórios podem interferir nos testes de coagulação do sangue, normalmente solicitados em pré-operatórios, já os antibióticos interferem em exames de cultura bacteriana bem como os antifúngicos tópicos interferem nos exames de cultura para fungos. Portanto, quaisquer que sejam os remédios que esteja tomando, avise o atendente antes do exame. Caso um deles interfira, você terá que conversar com o seu médico sobre a possibilidade de suspendê-lo por alguns dias. Se a interrupção não for possível, esse dado terá que ser levado em conta na avaliação do resultado.

Com certeza. Aspirina é o nome popular do ácido acetilsalicílico. Ela está presente em muitos analgésicos e antitérmicos, tais como AAS, Buferin, Doril, Melhoral, Aspirina Forte, Cibalena, Doloxene-A e Aspirina C. Todos os medicamentos com ácido acetilsalicílico interferem nos exames de coagulação do sangue.

Porque ela não interfere nos fatores da coagulação que são avaliados neste teste. A aspirina age no sistema da coagulação, apenas como antiagregantes das plaquetas.

O primeiro jato de urina traz células e secreção que podem estar presentes na uretra, principalmente se existir um processo inflamatório e/ou infeccioso chamado uretrite. Quando se está preocupado com uma possível infecção urinária, é importante que o material examinado não seja “contaminado” com o que estiver na uretra. Daí a necessidade de desprezar o primeiro jato e coletar o jato médio, ou seja, uma urina que representa bem o material que está na bexiga.

É melhor não fumar no dia dos exames, principalmente se forem testes de agregação plaquetária, glicemia ou curva glicêmica. Nesses casos, não fume no dia do exame.

Claro. Alguns exames, aliás, são solicitados exatamente porque a pessoa está com febre. A intenção é verificar se alguma infecção é a responsável. Porém, em algumas circunstâncias, a doença responsável pela febre pode interferir nos exames destinados a avaliar aspectos metabólicos e imunológicos. Por cautela, consequentemente, consulte o seu médico ou o laboratório antes de fazer o exame.

Sim, interfere no exame de urina. Por isso o ideal é fazê-lo fora do período menstrual. Mas, se for urgente, a urina pode ser colhida, adotando-se dois cuidados: assepsia na hora do exame e o uso de tampão vaginal, para o sangue menstrual não se misturar à urina.

Sim, qualquer um deles. Porém, diversos hormônios e algumas proteínas séricas variam durante o ciclo menstrual. Portanto, é fundamental que o médico saiba em que período do ciclo o seu exame foi realizado.

A glicemia reflete a quantidade de açúcar no sangue que, por sua vez, é uma fonte de energia de rápido aproveitamento pelo organismo. Dessa forma, sempre que o organismo precisar de mais energia, por exemplo, em esforço físico e stress, há alterações importantes nas velocidades de produção e consumo de açúcar. A maioria das vezes em que se faz exames de dosagem de glicemia, queremos saber como está o nível basal, pois o valor de referência diz respeito a esta situação. Portanto, a pessoa deve estar o mais próximo possível desta condição.

Sim, principalmente na dosagem de triglicérides. Por isso é importante fazer jejum de 12 horas para os exames de lipidograma ou de colesterol total e frações, bem como o de triglicérides, evitando assim um resultado falsamente alto.

Você deve manter a sua dieta habitual nos 5 dias que antecedem os exames. É fundamental jejum de 12  horas para a coleta do sangue.

É a que você costuma comer no seu dia a dia. Portanto, essa instrução significa apenas o seguinte: não mude a alimentação.

Nem todos. Desde que se obedeça ao tempo estipulado de jejum, alguns podem ser colhidos inclusive à tarde, sem problemas.

Alguns, não. É o caso das dosagens de cortisol, ferro e ACTH (hormônio adrenocorticotrófico). Esses exames devem ser realizados obrigatoriamente na parte da manhã. Motivo: é nessa parte do dia que tais substâncias têm um pico no organismo.

Não. Também não precisa ser a primeira evacuação do dia. Isso vale para todos os tipos de exame de fezes. Detalhe: para a comodidade do cliente é melhor o material ser colhido em casa, num frasco apropriado, fornecido pelo laboratório.

Importante ressaltar que para o exame de Pesquisa de Sangue Oculto nas Fezes a amostra colhida tem que ser entregue no Laboratório em no máximo uma hora após a coleta.

A 1ª amostra do exame Parasitológico de fezes seriado deve ser colhida sem uso de laxante para que o material fecal possa ser avaliado macroscopicamente (para verificar presença de muco, pus, sangue etc.) e também para poder ser realizada uma técnica de pesquisa de larvas de um determinado parasita na qual há necessidade das fezes não estarem semi-líquidas/líquidas.

Não, desde que se adotem dois cuidados para não misturar esses medicamentos à urina: assepsia na hora do exame e uso de tampão vaginal.

Em geral, causa apenas um leve incômodo, pois o procedimento é muito rápido. Mas isso é muito variável, pois depende da sensibilidade de cada pessoa e da destreza do profissional que realiza a coleta.

Não. Apenas alguém portando o comprovante pode retirar os resultados. Evidentemente, existem casos excepcionais que serão analisados pelo responsável.

O atendimento de gestantes, idosos, crianças “de colo” e portadores de deficiência é prioritário.

Antibiograma é um exame cuja finalidade é verificar quais são os antibióticos mais indicados para o tratamento da infecção causada pela bactéria isolada no material clínico analisado. Por este teste, ficamos sabendo a quais antibióticos a bactéria é sensível e a quais é resistente.

A pesquisa de sangue oculto nas fezes é utilizada para auxiliar o diagnóstico de doenças do intestino (especialmente do colo), em que exista sangramento. Como o álcool é um irritante gástrico, podendo causar sangramento do estômago por irritação, a ingestão de álcool nas 24 horas que antecedem a coleta das fezes é desaconselhada para quem vai fazer este tipo de teste.

A recomendação é feita para os hormônios que sofrem flutuação conforme o dia do ciclo, como o LH, FSH, estradiol e progesterona.

Nem todos. O tempo de jejum varia de acordo com o exame requisitado. Por exemplo, no caso da glicose é necessário 8 horas de jejum, colesterol total + frações e triglicerídeos são necessárias de 08 a 12 horas, dependendo do caso. Já outros exames, como o grupo sanguíneo e hemograma, não sofrem influência da alimentação. Para maiores esclarecimentos o laboratório disponibiliza uma equipe técnica pronta a esclarecer o tempo de jejum ideal para cada exame.

Geralmente não. A água pode ser ingerida na quantidade habitual, a não ser que o médico tenha feito alguma recomendação especial  a esse respeito. Raras exceções são feitas para determinadas provas funcionais específicas. Nesse caso, o paciente será informado ao marcar o exame.

A abstinência sexual é recomendada com período distintos a depender do exame a ser realizado:

Homens: Para  espermograma de 3 a 5 dias de abstinência; Para dosagem de antígeno prostático específico total e/ou livre (PSA) no mínimo 2 dias de abstinência. Para os exames de cultura uretral e exame de urina é recomendável não ter relação sexual na véspera do exame. 

Mulheres: Para culturas vaginal e/ou endocervical, 2 dias de abstinência. Para Exame de Papanicolau (Citologia Oncótica) também 2 dias de abstinência.

É recomendável não ter relação sexual na véspera do exame matinal de urina, no sentido de evitar aumento de leucócitos e hemácias na amostra, bem como evitar a possível contaminação da amostra de urina com o esperma.

Existem instruções específicas para cada tipo de exame laboratorial. Por isso, leia atentamente as orientações deste material para que a coleta de seu exame não seja prejudicada.

Lembre-se: um paciente bem orientado e uma amostra bem coletada são a garantia inicial da qualidade dos resultados de seus exames.

Orientações: Jejum obrigatório

  • Para coleta de colesterol e triglicérides, o jejum deve ser de 12 horas.
  • Para coleta dos outros exames, o jejum deve ser de 08 horas. (salvo orientação do médico requisitante)
  • Para crianças até 05 anos, recomenda-se jejum de 04 horas. Entretanto, aquelas que estiverem em amamentação, o jejum deve ser de 02 horas ou no intervalo entre uma mamada e outra.
  • Em crianças acima de 05 anos de idade, o jejum recomendado é de 08 horas.

Durante o período de jejum, o paciente poderá beber água e não deve suspender o uso de medicamentos sem autorização de seu médico.

Sim. Alguns tumores de testículo produzem este hormônio, que pode ser usado como marcador tumoral para acompanhamento do tratamento e prognóstico da doença.

Um tempo de jejum muito prolongado (superior a 14 horas) também causa variações nos exames. Para evitar alterações nos resultados, o laboratório não recomenda a coleta de exames após jejum prolongado, mas a equipe técnica do laboratório poderá ser consultada para avaliar cada caso em particular. 

Deve-se ter entre 03 e 05 dias de abstenção sexual para a coleta.

O esperma deve ser recolhido na totalidade, para um frasco fornecido pelo laboratório.

Nota: Não é permitida coleta em casa. A coleta do esperma deve ser feita no Laboratório, salvo em alguns casos específicos. 

Informar ao laboratório, se é vasectomizado, doenças anteriores, motivos do exame, uso de medicações, número de filhos (caso tenha).

Os exames realizados no sangue podem ser realizados em qualquer fase do ciclo menstrual (mesmo durante a menstruação), sempre respeitando a orientação recebida pelo médico. A coleta de exames de urina e fezes, entretanto, devem ser evitadas durante a menstruação, uma vez que pode ocorrer a contaminação das amostras com sangue falseando resultados. Se possível aguardar dois dias após o término da menstruação. Porém, caso o exame seja urgente, a urina pode ser colhida, realizando assepsia no momento do exame e fazendo uso do tampão vaginal para que o sangue não se misture à urina.

Homens:

  • Lavar as mãos.
  • Lavar as partes íntimas com bastante água e sabão.
  • Enxaguar e secar com papel toalha ou toalha limpa. 
  • Coletar de preferência a primeira urina da manhã ou aguardar um período mínimo de 4 horas sem urinar para depois efetuar a coleta. 
  • Desprezar o 1° jato de urina e, sem interromper a micção, coletar amostra suficiente do jato médio, terminando a micção no vaso sanitário.
  • Identificar o frasco coletor com nome completo sem abreviaturas. (O laboratório fornece coletor adequado).

Mulheres:

    • Lavar as mãos.
    • Lavar a genitália com água e sabão, de frente para trás.
    • Enxaguar com bastante água e secar com papel toalha ou toalha limpa. 
    • Separar os grandes lábios com a mão e realizar a coleta.
    • Coletar de preferência a primeira urina da manhã ou aguardar um período mínimo de 4 horas sem urinar para depois efetuar a coleta. 
    • Desprezar o 1° jato de urina e, sem interromper a micção, coletar amostra suficiente do jato médio, terminando a micção no vaso sanitário.
    • Identificar o frasco coletor com nome completo sem abreviaturas. (O laboratório fornece coletor adequado).
    • Crianças que necessitam de coletor:

      • Lavar as partes íntimas da criança com bastante água e sabão neutro, enxugando com papel toalha, toalha limpa ou gaze estéril.
      • Colocar o coletor pediátrico, fornecido pelo laboratório, (deverá ser trocado de hora em hora, até que a criança urine).
      • Repetir a higienização sempre que for necessário trocar o coletor.
      • Identificar o coletor com nome completo sem abreviaturas.
  • O primeiro jato de urina carrega células, bactérias e secreção que normalmente podem estar presentes na uretra. Quando se avalia uma possível infecção urinária, é importante que o material examinado não esteja contaminado com material da uretra. Daí a necessidade de desprezar o primeiro jato e coletar o jato médio que é a amostra adequada por ser oriunda da bexiga.
  • Em exames de sangue geralmente não, mas, em alguns exames, como de urina, pode interferir. Por isso o ideal é fazê-lo fora do período menstrual. Se necessário, a urina pode ser colhida, adotando-se dois cuidados: higienização na hora do exame e uso de tampão vaginal, para evitar que o sangue menstrual contamine a urina. Diversos hormônios variam com a fase do ciclo menstrual e portanto é importante que o médico saiba em que fase do ciclo ele foi realizado, por isso algumas vezes a recepcionista pergunta qual a data da última menstruação. 

  • Para exames protoparasitológico ou pesquisa específica para parasitas intestinais  não precisa ser a primeira evacuação do dia e nem estar em jejum. Isso vale para quase todos os tipos de exame de fezes. O Laboratório não sugere o uso de laxantes para a coleta de fezes, esta orientação só pode ser dada pelo seu médico. O laboratório fornece coletor adequado para coleta de fezes de acordo com o exame solicitado pelo médico.

  • – Protoparasitológico: Colocar fezes recém emitidas no coletor e enviar ao laboratório em no máximo 2 horas sem refrigerar ou no máximo em 24 horas se refrigerada. No caso de usar coletor com conservante, o material poderá ser entregue em até uma semana. Entregar sempre até as 15 horas de 2ª a 6ª feira ou até as 9 horas do sábado.

    – Exame Fresco de Fezes, Coprocultura, Pesquisa de Rotavírus e Pesquisa de Sangue Oculto nas Fezes: Colocar fezes recém emitidas no coletor (sem conservante) e enviá-la imediatamente ao laboratório. Entregar sempre até as 15 horas de segunda a sexta feira ou até ás 09 horas do sábado.

    – Coprológico funcional de fezes: Fazer a dieta específica para este exame, a partir de 72 horas antes da coleta das fezes, coletar toda amostra em frasco fornecido pelo laboratório e entregá-lo imediatamente ao laboratório. Entregar sempre até as 11 horas. 

O exercício deve ser habitualmente evitado antes da coleta dos exames uma vez que interfere em uma série de dosagens como, por exemplo, glicose, prolactina, cortisol, aldosterona, CPK, entre outros. Testes feitos após esforço físico terão, eventualmente, valores diferentes dos realizados em condições normais.

Sim, especialmente na determinação dos triglicerídeos e gama-glutamiltransferase (GGT). Por isso, o ideal é não ingerir bebida alcoólica, pelo menos dois dias, antes de fazer o exame.

A boa prática laboratorial recomenda que os exames de  sangue para dosagens hormonais e imunológicas, a coleta seja realizada após um período mínimo de duas horas de jejum, para dosagens bioquímicas (glicemia, uréia, creatinina, ácido úrico etc) o jejum deve ser de oito horas, sendo que para dosagens de colesterol, triglicérides e outras determinações lipídicas, o jejum deve ser de doze  horas . Como o Laboratório é um apoio ao diagnóstico médico, devem ser seguidas as orientações que o médico solicitante determinar. Porém, é necessário  que o laboratório seja informado sobre a orientação médica para a adequação necessária em casos particulares, como nos casos de urgência, por exemplo. No caso de crianças menores de 05 anos observa-se o jejum de 04 horas. Para lactantes o jejum deve ser de 02 horas. Salvo em casos de urgência ou para coleta de exames que não necessitam jejum como o hemograma, tipagem sanguínea ou coagulograma.

É importante ressaltar que todos os exames têm os seus valores de referência determinados a partir de amostras colhidas observando-se os tempos de jejum acima descritos.

  • Se houver no pedido exame Triglicérides e/ou colesterol, o jejum deverá ser de 12 horas.
  • O usuário deverá ter disponibilidade para permanecer no Laboratório por cerca de 2h30 no dia da coleta.
  • Almoçar entre 10h e 12h ou conforme orientações do médico.
    • Após duas horas do término do almoço, sem atraso, apresentar-se ao laboratório para coletar o sangue.
    • Não modificar o hábito alimentar.

1 – Nos dias anteriores à coleta da amostra de sangue, deve ser seguido os critérios: 

  • Não fazer exercícios pesados pelo menos por 01 dia antes da coleta (andar a cavalo, bicicleta, ergométrica, etc.); 
  • Não manter relação sexual por 2 dias antes da coleta; 
  • Não ter feito toque retal ou sondagem uretral há menos de 03 dias antes da coleta; 
  • Não ter feito ultrassom trans-retal há menos de 07 dias antes da coleta; 
  • Não ter feito colonoscopia há menos de 15 dias antes da coleta; 
  • Não ter feito biópsia de próstata há menos de 30 dias antes da coleta. 

2 – Se ocorrer alguma das hipóteses acima, esperar completar o tempo para a coleta da amostra de sangue.

(Microalbuminúria, Proteinúria, Creatinina, Clearence de Creatinina, Uréia, Clearence de Uréia, Glicosúria, Cálcio etc)

Esvaziar a bexiga (1ª urina da manhã) antes de iniciar a coleta e anotar o horário.

  • ATENÇÃO: Este é o horário de início da coleta.
  • Coletar todas as urinas, após a 1ª  até o mesmo horário do início da coleta, no dia seguinte, inclusive a 1ª e anotar o horário. 
  • ATENÇÃO:Este é o horário do término da coleta.
  • Identificar o frasco com nome completo sem abreviaturas.

EXEMPLO: Acordar às 6 horas, desprezar a urina no vaso sanitário. Coletar todas as urinas do dia e da noite até às 6 horas do dia seguinte, sem perder nenhuma urina.

 Manter sempre o frasco com a urina fechado e na geladeira. Coletar em frasco fornecido pelo Laboratório ou em frasco de água mineral sem gás.

Esta mancha roxa denomina-se equimose ou hematoma e ocorre pelo extravasamento de sangue para fora da veia. Embora raro e sem maior consequência, é uma reação orgânica que pode ocorrer apesar do empenho de nossa equipe em utilizar adequadamente os materiais e sistemas para obtenção de amostra de sangue. Este fato pode ocorrer devido ao uso de medicações que alterem a coagulação do sangue, ou mesmo veias “finas”, delicadas, ou com muita pressão. 

 

  • Jejum alimentar de 8 horas.
  • Não fazer exercício físico intenso um dia antes da coleta de sangue. 
  • Descansar 30 minutos antes da coleta, (o laboratório dispõe de sala adequada para repouso). Informar a data da última menstruação.
  • Evacuar/defecar em recipiente limpo e seco. Evitar que se misture com urina.
  • Obter um pouco de amostra do início, meio e fim das fezes; se tiver muco, pus ou sangue, preferir. 
  • Colocar a amostra em frasco fornecido pelo laboratório.
  • Se coletado com conservante, observar as orientações contidas no frasco.
  • O número de amostras a serem coletadas e a periodicidade dependem da orientação médica.
  • Identificar o frasco com nome completo sem abreviaturas.
  • Não. O Laboratório Exame realiza este exame através da técnica utilizando um anticorpo monoclonal específico para hemoglobina humana. Com isso, eliminamos a necessidade da dieta alimentar, não havendo reação cruzada.

    Alguns medicamentos orais como a aspirina ou outros salicilatos, drogas anti-inflamatórias não esteróides como fenilbutazona, indometacina, ou anticoagulantes (heparina) podem causar uma irritação gastrintestinal e sangramento oculto em vários pacientes, produzindo resultados de teste imprecisos.

    A colchicina, as drogas oxidantes (iodo, brometos e ácido bórico) e a reserpina podem produzir resultados falso-positivos. Por orientação médica, esses medicamentos não devem ser usados durante o período de testes. As fezes devem ser colhidas em frasco fornecido pelo laboratório e entregue imediatamente ao mesmo. Entregar as fezes até as 15 horas.

AMOSTRA: Fezes recentes, SEM QUALQUER CONSERVANTE (MIF, etc).

  • Evacuar/defecar em recipiente limpo e seco.
  • Obter um pouco de amostra do início, meio e fim das fezes; se tiver muco, pus ou sangue, preferir. Ter o cuidado de não ultrapassar a metade do frasco.
  • Não coletar fezes durante o período menstrual, ou se tiver hemorróida com sangramento. 
  • Restrições a dietas não são necessárias.
  • Suspender o uso de bebida alcoólica três dias antes da coleta.
  • Aspirina, anti-inflamatórios e outros medicamentos tomados em excesso podem causar irritação gastrointestinal, provocando sangramentos ocultos. Procure orientações com seu médico, caso faça uso de qualquer um destes medicamentos.

Enviar a amostra acondicionada em frasco adequado, limpo, seco e identificado. Entregar no Laboratório até às 15 horas de segunda a sexta feira ou aos sábados até as 9 horas.

  • Coletar preferencialmente pela manhã, em jejum e antes da higiene bucal.
  • Respirar fundo e tossir profundamente, procurando trazer o escarro de dentro dos pulmões e cuspi-lo dentro do frasco coletor, fornecido pelo Laboratório, evitando coletar saliva.
  • Coletar o número de amostras conforme orientação médica e identificar o frasco com nome completo e data da coleta.
  • Encaminhar o frasco com amostra ao laboratório imediatamente após cada coleta.